programacao-criativa

Escopo: variáveis locais e globais

Variáveis locais e parâmetros nas definições de funções

Antes de usar uma variável no Processing é preciso que ela seja declarada, por exemplo int i;, float angulo; ou color minhaCor;, no mesmo momento podemos já atribuir um valor, isto é, apontar o nome da variável para um valor, como em int i = 0;, color vermelho = color(255, 0, 0); ou ainda float redutor = 0.05;

Quando a declaração de uma variável acontece dentro da definição de uma função (como setup(), por exemplo), dizemos que tem escopo local e somente o código dentro da função reconhece aquele nome e enxerga as atribuições dos valores realizadas neste escopo. Também os parâmetros ou argumentos na definição de um função com parâmetros pertencem ao escopo local da função.

exemplo de uma variável local

void olho(float x, float y, float tamanho) {
  float metade = tamanho/2;    //metade é uma varivel local
  noStroke();
  fill(255);
  ellipse(x, y, tamanho, metade);
  fill(0);
  ellipse(x, y, metade-2, metade-2);
}

Variáveis globais

Traducionalmente declaradas no início do sketch, e fora de qualquer função (incluindo setup() e draw()) as variveis globais são visíveis por qualquer parte do código, podendo inclusive ser em qualquer parte alteradas.

exemplo de uma variável global

int x;  //x é uma variável global

void setup(){
  size(200, 200);
  x = width/2;
}

void draw(){
   background(0);
   ellipse(x, 100, 10, 10);
   x = x + 1;
   if (x > width) {
     x = 0;
   }
}

É comum escutarmos que devemos usar variáveis globais com parcimônia, usadas descuidadamente, elas criam o risco de alterarmos inadvertidamente valores em pontos inesperados do programa.